Header

A NOS partilha o mesmo ip publico e ficamos sem serviços , será isto legal?


Boa tarde , tenho em casa vários serviços que pretendo aceder , nomeadamente (DynDNS, NO-IP, DVR CFTV, VPN entre outros) e estou privado deles ,  penso que a NOS deverá repensar o método de acarinhar os clientes , o IP público conferido ao cliente NOS, atribui máscaras, ou endereços IPv4 privados, a cada um dos equipamentos conectados da casa do usuário, só que em grande escala. O CGNAT cria uma nova camada de NAT em grande escala bloqueando as conexões de entrada para o seu (DynDNS, NO-IP, DVR CFTV, VPN entre outros). penso que isto deveria ser informado ao cliente final, entretanto espero que me deem solução ao meu caso;

Cumprimentos


5 Comentários

Reputação 7
Crachá +5

Boa tarde, @Rui Manuel Bôto Mascarenhas 

Bem vindo ao Fórum NOS. Como sugerido pelo @Jorge C, detalhe-nos a sua situação.

Obrigado

Reputação 2

Vivam, o que Rui descreve é simples de explicar:

Desde de que o serviço de internet fixo é vendido pelos nossos operadores, a cada cliente residencial era atríbuido um endereço IP “público” (conhecido por todo o mundo) de forma dinamica.

Os IPs públicos permitem que a partir do exterior (de qualquer parte do mundo), quem soubesse este IP, pudesse aceder remotamente a serviços internos, exemplo sistemas de video vigilância ligados à rede, solar e outros sistemas, impressoras, qualquer coisa ligada na rede do cliente.

 

Aparentemente desde algum tempo atrás (pelo menos 4 meses) a NOS passou a atribuir, para acesso à internet fixo endereçamento reservado, que não é visivel a ninguem a não ser ao operador, que depois permitirá ao acesso do cliente à internet através da tradução deste endereço, para outro publico que por sua vez é partilhado por todos os demais clientes.

Como o Rui refere, CGNAT (Carrier Grade Network Address Translation).

Posso confirmar, da minha parte, que também já estou a ser alvo desta alteração (desde o ínicio deste ano)

 

Mais alguns exemplos do impacto que isto pode causar: plataformas de jogos online, que solicitam acesso a portos específicos vindos da internet até aos vossos computadores e consolas.

 

99% é capaz de não ter percebido exatamente do que Rui fala, mas certamente que seguem cegamente muitas das instruções destas plataformas de jogos, sistemas de IoT e demais, para assegurarem que conseguem ter o serviço completo que compraram.

Pelo andar da carruagem, eventualmente não irão poder mais cumprir com os requisitos destes fabricantes e produtos, e sem qualquer tipo de apoio possível, nem da parte da NOS (se não criar um serviço diferenciado) e muito menos do apoio destes fabricantes/produtos que cada um de nós compra na expectativa de que será possível usar a internet para gerir de forma inteligente os serviços e sistemas em casa, a partir de qualquer lado do mundo.

@Rui Manuel Bôto Mascarenhas, não sei se tens novidades sobre isto, mas partilho da mesma dificuldade que relataste à 4 meses atrás e gostaria de saber se conseguiste ter algum tipo de apoio que possa replicar do meu lado.

 

Abraço,

Carlos Santos

Reputação 7
Crachá +2

99% das pessoas não sabe nem do que fala, daí ninguém em nenhuma operadora lhe vai informar sobre nada disso.

Da parte da NOS questões tecnicas assim é sugerido que ligue para uma empresa de informática ( neste caso pcmedic 0,45cents/minuto) para elucidarem melhor.

Tem raźão 99% das pessoas não sabe o que fala, nem sabe com quem está a falar.

Boa noite @Rui Manuel Bôto Mascarenhas,

Por favor detalhe de que forma ficou privado desses serviços.

Obrigado

Comentário